Conheça Supersimetria, de NASCA, o primeiro vinil branco feito pela Vinil Brasil

O disco é também a estreia solo do artista Otto Nascarella, que traz afrobeat com muita música brasileira no álbum

O LP que inaugura a primeira tiragem de vinis brancos da Vinil Brasil, carrega uma mistura de sons brasileiros, como jongo, côco, baião e samba, com jazz, soul e afrobeat. Saiba mais sobre a trajetória do artista e a produção do álbum.

Para traçar um breve perfil, Otto Nascarella, o NASCA, é DJ e fundador da banda Saravah Soul. Em sua caminhada, ele já tocou em Londres e em palcos europeus disseminando ritmos dançantes muito enraizados na cultura negra.

Com seu trabalho autoral, NASCA, ele lançou o compacto em digital ‘Onde Vai Dar’, com a música título e ‘Dia de Índio’.  Este som é uma proposta mais dançante por NASCA, da versão original de Jorge Ben, que teve Baby do Brasil na voz.

Já em Supersimetria, uma divisão de sons instrumentais e vocais, NASCA explorou os alcances da música brasileira. “O resultado final é um disco que expande minha pesquisa sobre as possibilidades de mistura dos sons brasileiros, da música soul, jazz e afrobeat. Metade das faixas é instrumental, as outras têm vocais, uma delas com letras em inglês”, destaca NASCA sobre seu trabalho.

A lista de profissionais envolvidos em Supersimetria é imensa. O disco contou com muitos músicos convidados, mixagem de Geison Budel, feita no estúdio Áudio Coruja em Curitiba. Além da masterização de Carlos Freitas, do Classic Master, estúdio que recomendamos. Tudo isso culmina no álbum de nove faixas cheias de estilo, com capa do artista plástico curitibano, André Mendes.

Supersimetria é um disco independente e teve sua produção em vinil feita por meio de financiamento coletivo. Ouça o disco branco de estreia da Vinil Brasil e conheça mais sobre NASCA, aqui.

Compartilhe isso:

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial