Corpura: a música negra de Aláfia

Disco tem raízes no candomblé e funk e é o segundo projeto do grupo

Na lista das primeiras produções da Vinil Brasil, Corpura, de Aláfia, é o disco em que o grupo se firma na música negra. O álbum traz uma reflexão à necessidade de diálogo sobre a realidade cultural e social do país. Confira mais sobre essa produção.

Corpura, gravado pela YB Music, ganhou o edital e foi patrocinado pela Natura Musical. O disco contou com produção de Alê Siqueira e Eduardo Brechó e mostra o flerte de Aláfia com a black music carioca dos anos 70 e o funk norte americano e africano.

As letras de Corpura seguem o mesmo perfil de seu antecessor Aláfia. A política, a denúncia do racismo e da criminalização contra a população periférica são temas recorrentes nos dois álbuns. E em Corpura estão ainda mais evidentes, em músicas como ‘Preto Cismado’, ‘Salve Geral’ e ‘Proteja o seu Quilombo’.  

Aláfia. Créditos: EduPimenta
Aláfia. Créditos: EduPimenta

Aláfia, que em iorubá (idioma de origem africana) significa caminhos abertos lançou Corpura em 2016. O grupo é formado por Xênia França, na voz; Alysson Bruno, na percussão; Eduardo Brechó, na voz, guitarra e percussão; Fabio Leandro no teclado e vocoder; Filipe Gomes na bateria; Gabriel Catanzaro no baixo; Gil Duarte na flauta e trombone, Jairo Pereira na voz, Lucas Cirillo na gaita; Pipo Pegoraro na guitarra; e Victor Eduardo na percussão.

O disco também conta com as vozes de Tássia Reis, Lu Oliveira e Tibless, Negravat e as participações de Vinicius Chagas no saxofone e Projeto Coisa Fina nos sopros e quarteto de cordas.

Conheça a ficha técnica completa e ouça Corpura, aqui.

Compartilhe isso:

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial