SolarSoul: o ‘disco fundamental’ que projetou a Vinil Brasil

O projeto autoral de Michel Nath, que mescla ritmos tradicionais de vários países, jazz, soul e funk, o influenciou a construir a Vinil Brasil

Além de Michel Nath ser o responsável pela Vinil Brasil, ele também toca paralelamente vários trabalhos, entre eles, o DJ Alquimix e o albúm SolarSoul. O trabalho autoral conta com o poeta, compositor e músico, na concepção, letras, músicas e direção do álbum. A obra é responsável pelo início da história da Vinil Brasil e aborda como tema central o despertar atual da Consciência Universal Humana.

Concebido em Londres, em meados de 2011, época em que o compositor morou na cidade, o álbum teve as gravações finalizadas em estúdios de São Paulo. Quem participou da fase da pré-produção musical junto à Michel, foi o baixista Isidoro Cobra, que tem história na banda Jumbo Elektro.

Em terras brasucas, o álbum começou a ser gravado no estúdio Minduca, do baterista Bruno Buarque, e passou por outras casas depois. Músicos de primeira classe participaram e deram vida ao disco com influências de Soul, Funk, Jazz e música tradicional de vários países.

Michel cuidou dos vocais e guitarra; Cobra no contrabaixo; Buarque na bateria, percussão e beats; Marcelo Monteiro na flauta transversal e sax barítono; Mestre Bocato nos trombones; Thiago Pinheiro nos teclados e Daniel Verano nos trompetes. As participações especiais ficaram por conta de Alfredo Bello (DJ Tudo) no baixo acústico com arco; Beto Monteg no vibrafone; Adriano Sargaço no violão; MZK nas maracas e Camila Saher no backing vocal.

Show de lançamento do vinil SolarSoul, na casa Serralheria (SP)
Show de lançamento do vinil SolarSoul, na casa Serralheria (SP)

SolarSoul  foi mixado por Pinheiro, que o produziu com Michel e teve masterização de Felipe Tichauer no RedTraxx Studio em Miami. Tichauer é engenheiro de som e já trabalhou em álbuns de Christina Aguilera, Mew, Rod Stewart, Céu, Paulina Rubio, Luis Fonsi, Sean Kingston e Michael Bolton.

O SolarSoul passa a mensagem de seu autor na obra: “Acho que o disco tem que falar por si só, não acredito em Arte com bula. Mas a minha intenção com o álbum era falar do despertar da Consciência Universal Humana que uma parcela considerável da nossa espécie está vivendo.”

O resultado foi a obra de 10 faixas em LP, com capa desenvolvida por Alex Coelho, e uma versão em CD, com projeto adaptado por Binho Miranda. Já as ilustrações do pôster se dividem nas mãos de MZK e Rafael HighRaff, e a caligrafia, pelo próprio Michel.

Lado do encarte feito por MZK
Lado do encarte feito por MZK

A primeira tiragem do disco foi prensada na fábrica da GZ Media, na República Tcheca, e tem a premissa de peça única. Cada LP tem o padrão splash, diferente do outro, devido ao processo de prensagem. Isso confere o visual de constelação exclusivo no disco, valorizando mais o trabalho.

A obra foi o primeiro disco prensado pela Vinil Brasil numa edição que não foi comercializada. Esse disco que é amarelo, serviu de inspiração, teste e mostrou à Vinil Brasil que é possível fazer discos aqui no Brasil com muita qualidade e que o sonho de disseminar música e cultura poderia se materializar.

SolarSoul ainda terá uma versão especial feita na Vinil Brasil, que está trabalhando para aprimorar o áudio e os aspectos físicos /visuais do disco, capa e encartes. Tudo para levar a melhor experiência ao ouvinte na edição nova.

Você pode conferir a ficha técnica, baixar ou comprar o LP ou o CD SolarSoul, versão importada, aqui.

 

 

Compartilhe isso:

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial